Voltar \ A casa do futuro no pós-Covid-19

A casa do futuro no pós-Covid-19

01 nov 2020
A casa do futuro no pós-Covid-19
É curioso!
A pandemia mudou (e continua a mudar) a forma como vivemos, dentro e fora de portas. Trouxe novas tendências e acelerou outras. A casa assumiu-se como um grande refúgio tornando-se na escola, no local de trabalho e de lazer de muitas famílias, com a criação de novas necessidades e a introdução de diferentes hábitos, rotinas, formas de conviver e de estar. Mas de que forma se estão e vão adaptar as nossas casas a esta nova realidade? Como será a habitação na era pós-Covid?
Com o confinamento, as pessoas ficaram mais conscientes dos seus espaços e da importância e qualidade dos mesmos. A casa tende, por isso, a adaptar-se para tornar-se num "espaço misto", capaz de incorporar de forma fluída diferentes funções, nomeadamente o trabalho, descanso e lazer. E também a privilegiar uma maior conexão com o exterior e a natureza, com mais jardins e espaços ao ar livre.
Daí que os terraços e varandas sejam vistos, cada vez mais, como opção imprescindível no futuro. Espaços de transição que funcionam, na verdade, como balões de oxigénio, e que já se revelaram fundamentais durante a quarentena. E até já há projetos inovadores para edifícios sem varanda que promete “esticar” os m2 da casa.
A preocupação coletiva com a higiene e bem-estar também irá moldar a habitação do futuro, que deverá ser cada vez mais “à prova” de pandemia. Um espaço onde irão caber inovações hiper-higiénicas e super-sustentáveis, de que é exemplo a nova geração de torneiras sem contacto para a normalidade pós-covid, isto é, soluções que reforçam as medidas de higiene e segurança preventivas.
A flexibilidade laboral, com períodos de trabalho em casa e no escritório, veio para ficar. Trata-se de uma tendência que já estava a ser implementada por várias empresas, mas que ganhou novo impulso com a pandemia. Mas muitas casas não estavam devidamente preparadas para esta nova realidade, e muitas famílias tiveram de improvisar espaços para articular a vida familiar e profissional. Durante e já depois do confinamento, foram surgindo e sendo pensadas múltiplas soluções para criar um espaço de escritório em casa, que será uma aposta para o futuro.
Até novas regras em contrário, as escolas irão continuar de portas abertas, mas tudo dependerá da evolução da pandemia. Assim, e em caso de novo confinamento, como o que aconteceu em março, o melhor será preparar a casa para as aulas à distância. Desde a mesa simples que se pode abrir facilmente na sala de estar, até aos ambientes mais acolhedores, com mesas de escritório, sem esquecer as secretárias de trabalho para espaços maiores, e as casas pequenas (como os estúdios). 
Maiores preocupações com saúde e bem-estar, a par de alterações na rotina diária – de que é exemplo o teletrabalho – têm começado a provocar um maior êxodo urbano, que a reforçar-se, dará mais vida de volta aos subúrbios, áreas urbanas circundantes e áreas rurais ou perto da praia. As gerações mais novas, vão procurar cada vez mais zonas deste género para melhorar a qualidade de vida. 
Os projetos energeticamente mais eficientes e construções de melhor qualidade, deixarão de ser apenas uma necessidade, mas uma condição para o negócio.
A preocupação com o ambiente e a redução da pegada ecológica, mas também o conforto das casas, ganharam ainda maior destaque com a pandemia, e há cada vez mais soluções a chegar ao mercado para satisfazer estes critérios.
O confinamento fez-nos passar muito tempo em casa, e pequenas coisas que antes poderiam não ser uma prioridade para nós, como a decoração ou pequenas reparações, tornaram-se agora essenciais. Os portugueses, por exemplo, sentiram que era hora de remodelar o seu espaço. Desde remodelações, reabilitações ou decoração, as famílias decidiram pôr mãos à obra.

Assim é a casa ideal no pós-Covid-19 pensada pelo famoso designer Karim Rashid
A casa do futuro, depois da pandemia do novo coronavírus, vai apostar numa maior conexão com o exterior e a natureza. Para o famoso designer industrial Karim Rashid, a sua casa pós-Covid-19 ideal deve ser barata, ter uma vista de 360 ​​graus à sua volta e muito espaço dentro e fora de casa. A residência dos sonhos de Rashid, apelidada de 'Disk House', é uma casa futurista, mas económica, localizada no campo. "Ter ficado fechado em Nova Iorque, no confinamento, fez-me fantasiar em construir uma casa futurista, mas barata no campo, com vistas de 360 ​​graus", partilhou Karim Rashid no seu perfil de Facebook.

fonte:https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2020/10/28/45074-como-sera-a-casa-do-futuro-no-pos-covid
Veja Também